sexta-feira, 9 de março de 2007

Carta aberta à Zero Hora manifesta repúdio a charge

Fonte: SindBancários www.bancariospoa.com.br


O SindBancários, a Federação dos Bancários do RS e a Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcef-RS) manifestaram em oficio enivado ao editor-chefe do jornal Zero Hora, Marcelo Rech, o repúdio ao conteúdo da charge publicada na edição desta segunda-feira, dia 5, na página 2 de ZH.
Segundo o diretor do SindBancários e representante do RS na Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), Marcos Todt, “não se pode admitir que uma manifestação leviana como a do chargista Marco Aurélio manche a imagem da Caixa e de seus trabalhadores, que tanto fazem pela sociedade brasileira.”

Confira o conteúdo do documento encaminhado para ZH:

Nós não merecemos isso!

Foi com muito pesar e indignação que vimos, na edição da Zero Hora do dia 06/03/2007, um ataque frontal à Caixa Econômica Federal e a seus trabalhadores feito pelo chargista Marco Aurélio.

A Caixa tem 146 anos de história. A razão inicial para uma instituição ser tão duradoura, sem dúvida, é seu quadro funcional. Os trabalhadores da Caixa são qualificados, guiados pelo comportamento ético, e se preocupam com a justiça social. Acima de tudo são profissionais que têm absoluta identidade com a missão de servir à sociedade, em especial aos segmentos menos favorecidos.

Através de concurso público, a Caixa emprega 70 mil trabalhadores. Concurso público é a maneira mais transparente de seleção. Com ele, não existe jogo de indicações, não existe nepotismo.

Somando-se os estagiários, os prestadores de serviços, os menores e adolescentes-aprendizes, a Caixa emprega mais de 100 mil pessoas, a serviço do Brasil.

A Caixa, como o povo brasileiro sabe, é o principal agente executor das políticas sociais em nosso país. Vejamos:

· único banco a destinar recursos para a habitação de famílias de baixa renda;
· único banco a investir em saneamento básico;
· agente de transferência de renda que beneficia milhões de brasileiros: Bolsa-Família, Bolsa–Escola, Bolsa-Alimentação, Cartão-Alimentação, Auxílio-Gás, PETI, Agente Jovem, Auxílio-Aluno, Garantia-Safra, De Volta pra Casa, Pró-Jovem, Bolsa-Atleta e Emergencial contra a Seca;
· disponibilização de crédito a hospitais filantrópicos e santas casas, gerando resultados sociais e contribuindo para a melhoria do sistema único de Saúde (SUS);
· financiamento estudantil: a Caixa é a única possibilidade de obtenção de financiamento aos universitários do país.

As instituições financeiras privadas, que só visam o lucro, não se interessam por programas e financiamentos que não geram resultados financeiros, “apenas” sociais. Esse fato, aliado aos exemplos concretos acima listados, são suficientes para se compreender a importância da Caixa para toda a sociedade brasileira, especialmente para a população de baixa renda.

Numa época em que a sociedade e o mundo estão carentes de valores morais, em nada constrói iniciativas deletérias como a do Sr. Marco Aurélio.

Por tudo que foi exposto, colocamos publicamente nosso repúdio à citada manifestação, que leviana e irresponsavelmente despeja sobre a sociedade uma desconfiança, através de uma charge que deprecia a imagem da instituição, desrespeita seus trabalhadores (não menos dignos que o sr Marco Aurélio) e constrange a todos, inclusive seus muitos clientes.
Assinam:
Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região (SindBancários)
Federação dos Bancários do RS
Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcef-RS)

Um comentário:

Claudia Cardoso disse...

Marco, boa boite. Cheguei ao teu blog pela Alma da Geral. Como não leio Zh, não tomei conhecimento da charge do MA, muito menos da nota enviada àquela empresa. Farei circulá-la naquela "antes tarde do que nunca".
Abraço!